Saturday, April 30, 2005

Magia em terras Francesas

Hocus Pocus estava meio que perdido numa prateleira da Fnac, o que me chamou a atenção não foi o facto de ter um nome fora do vulgar, nem de ter hip hop na capa, nem o facto de ter apenas 7 faixas e uma delas repetida, foi o facto de se auto-intitularem Acoustic Hip Hop Quintet, de terem 5 instrumentos na capa.... os quais chegam para fazer magia.... Hocus Pocus!


O genial é que o produtor e programador, escreve e interpreta os temas, rodeados de soul, funk, mas sempre num registo vocal bem hip hop. Falo do francês 20Syl. Os cortes são autenticamente primorosos (em alguns temas tocasse a turn como um saxophone..) e ficam ao cargo de Dj Greem. Suponha-se que estamos a ouvir um disco de hip hop, cheio de scratchin' programações e percussão, teclas muito muito muito doces, (ficaram a cargo de um Fender Rhodes... penso ser o classico MarkII Stage Version), grandes drums.. mas que tudo isto e tocado live. O que desperta um feeling diferente de qualquer outro album "programado", são maneiras diferentes de estar dentro da música. Foi isto que me interessou em Hocus Pocus e me fez pesquisar um pouco mais sobre a sua história.
O que sei sobre eles... foi pesquisado, o que ouvi sobre eles foi há menos de 3 dias e já estou completamente apaixonado pela sonoridade jazz/funk/soul = Hip Hop.


click na foto para aceder ao site oficial da sua label.

Continuando um pouco pela sua formação... 20Syl e Dj Greem juntam-se com Y.D.R. (baixista - percursão... enfim todos eles..), Yannick Busi (o génio por detrás do Rhodes) e o drummer Ant.1.
O seu primeiro registo de longa duração acaba de sair, mas não é sobre este que escrevo, tentarei arranjá-lo rapidamente, anteriormente editaram varios maxi's, remisturas, temas em álbuns de grandes nomes do Hip Hop francês (ex.:um mix com Cut Killer ) mas de facto o EP, Hocus Pocus, Acoustic Hip Hop Quintet é a melhor forma deos ficar a conhecer. ..


Deste EP : Hocus Pocus, representado acima, recomendam-se ambas as versões de "Malade", "On and On"(live), "Keep it movin'" e o interlúdio "Bombastic Jazz Style!" (live), um feeling apenas atingido pela grande osquestração de 20syl, que comanda sabiamente este quinteto pelas ruas cruzadas do hip hop, funk, soul e jazzzz.



Discografia (en françieu):
HISTORIQUE
- Album 13 titres CD/vinyle « 73 touches » (février 2005)
- Maxi « On And On part.2 » (décembre 2004)
- Francofolies de La Rochelle 2004- Transmusicales de Rennes 2003
- Festival des Vieilles Charrues 2003
- Maxi « Conscient » (Janvier 2003)
- Album CD 8 titres « Acoustic Hip Hop Quintet
– 3 », édition limitée (Juin 2002)
- Rencontres urbaines de La Villette 2002
- Découverte du Printemps de Bourges et de la FNAC 2002- Festival des Vielles Charrues 2002
- Concert au MCM Café du 17/01/2002 avec captation et multi-diffusion sur la chaîne MCM- Maxi « On and on » (octobre 2001)
– Titre repris sur la compilation "1 Son 2 Rue" mixée par Cut Killer (ULM)
- Album « Seconde Formule » (ancienne formation - 1998)


"73 Touches", LP - O Primeiro Registo de Longa Duração dos hocus Pocus, já disponível.


Peace y'all!

Friday, April 29, 2005

Production' News! (Parte1)


Click na foto para novo artigo em "The Producer's Studio"

Thursday, April 14, 2005

"Nós Por Cá"


The_Producer:

0001 - Talib Kweli: The Beautiful Struggle
0002 - Outkast: Speakerboxxx
0003 - Jazzmatazz Vol.3: StreetSoul (Guru)
0004 - LCD Soundsystem LP
0005 - Dj Vadim Maxi's and Lyrics Born Quannum Maxi's


Peace Y'all!

Bob Da Rage Sense
“Autonomia Psíquica é a chave simplesmente
alcançamos o impossível através da mente”



Uma verdadeira definição de Hip Hop, é o que nos traz Bob Da Rage Sense, no seu novo albúm Bobinagem.
É de salientar (na minha opinião) a faixa 2 e a 7.
A 2 pela sua complexa perfeição no que toca a beat, letra e flow, uma musica extremamente completa.
E a 7 especialmente pelo “flow conjunto” de Bob e Noscar, (dois excelentes mc’s e dos que mais tenho gostado de ouvir), e também com uma letra e beat bastante bons.
Esperemos que continue(m) o bom trabalho porque é assim, com este tipo de bons trabalhos que avançamos no Hip Hop tuga.


Playlist:
01 - Intro
02 - Luz do Dia
03 - Luta Por Ti
04 - Chora Comigo c/ Laton e Dilma
05 - Ferramentas Do Sistema
06 - Hip Hop c/ Kool Kleva
07 - Poder Vocal c/ Noscar
08 - A Carta09 - Bobinagem
10 - A Guerra Do Saber Inaltecer
11 - O Meu País c/ Salvaterra e Perola
12 - Não Vim Para Ficar c/ Kool Kleva e Laton
13 - Freestyle
14 - Refrões Da Minha Vida
15 - Outro

Marks


[[]]


Tuesday, April 12, 2005

O Inferno De Mr Dibbs!

Para quem não está familiarizado com Mr. Dibbs a familiarização não é fácil... Enfim Mr Dibbs pode bem ser um dos mais revolucionários produtores da electrónica (electrónica!? nem se sabe bem quanto a isso.. claro que tudo é sintetizado, mas será o turntablism de Mr Dibbs tão orgânico que crie raizes orgânicas na sua música!? Não será o sampling a forma mais orgânica da electrónica...).


Para quem não conhece claramente o extenso legado de Mr Dibbs, poderá esperar fusões até dizer chega, onde o Metal e o Rock Progressivo encontram por vezes um beat de Hip Hop mais proeminente, onde a música latina encontra um baixo ácido, ounde o turntablism se alia aos beats mais hardcore da velha escola e cria um Hip Hop do mais puro e duro. O sampling, e o turntablism são armas claras, por vezes Mr Dibbs torna-se num especimén "Shadowiano" contudo que sempre em universos diferentes, Shadow procura a música pela música, Dibbs provavelmente tenta destruir a música pela música, causar sentimento numa linha de drums completamente destructiva.

Mas isto é Mr Dibbs de um disco e nada implica que a vossa próxima audição transpareca raiva, muito pelo contrário Mr Dibbs aprofunda-se de tal forma em temas instrumentais que ta como Shadow, El-P, e outros nos fazem pensar se mesmo um instrumental sem vozes, sem vocal samples pode ter uma mensagem inerente...


Poderiamos analisar dois Mr. Dibbs: Mr "Dibbs in Turntable Scientifics" e "Mr Dibbs em Elemental Tracks for Habitat: Cease and Desist".


Elemental Tracks for Habitat: Primitive Tracks/Cease and Desist:



Mr Dibbs tem a cultura skater bem presente dai que o convite surgisse e fosse aceite, a Habitat (para os readers usuais do nosso site: Habitat é uma Skate Team) compos o seu video e o soundtrack é todo pertencente a Mr Dibbs, existe até um tema mítico: , no entanto temos de ver este disco (no meu caso LP) no contexto do video, se as vezes é puro instrumental de background, por vezes "blenda-se" pelas entranhas do skating e surge o que Mr Dibbs ambiciona em todos os temas, gerar sentimento, seja revolta, ou alegria.


No segundo lado, surge Cease And Desist uma actuação de Mr Dibbs Live, algo semelhante a one men army (ou talvez Orchestra) disparando samples de vinil por cima dos seus beats, com muito turntablism a mistura e sem flaws aparentes!



Turntable Scientifics:



Disco é inimaginavelmente lindo!
Esperem uma fusão turnatablista de hip hop do mais puro, os instrumentais são old-skool, new, whatever Mr Dibbs feels... É um disco onde se demosntram skillz, e ao mesmo tempo o amor por um estilo de música tão unico.
O Disco está completamente esgotado por parte da distribuidora/editora de Dibbs por isso se o apanharem não o deixem fugir! Um grande disco que infelizmente não foi editado para a versão vinilistica ( e bem o merecia)!


Peace!
Get to know Dibbs..

TALIB KWELI

Talib Kweli surge por palavras de Mos Def:




"Life is Beautiful,Life is a Struggle, Live is a beautiful Struggle."

Para além de contar com grandes Mc's com grandes flows, grandes produtores com grandes e cada vez mais magnificos beats (até os Neptunes!) conta especialmente com Kweli.
E foi Kweli que me fez abrir os cordões á bolsa por este álbum, não pelo grande beat do Just Blaze na faixa: "Never been in Love Before" (genial...), não pelo track de Kanye:"I Try", nem pelo explosivismo do tema interpretado conjuntamente com os Neptunes, nem pelo grande produtore que é o Hi-Tek que entra em alguns temas (como o excelente:"Work It Out"). Mas sim por Talib falar... por Talib tentar... por Talib fazer um rap que o mundo precisa de ouvir.


A sonoridade do disco é muito especial, pois flows como o Kweli também o são, se temos hip hop puro, temos "I Try" (c/ Mary J. Blige) e "Never Been in Love" com sonoridade Soul/Gospel. E também nas teclas de "Around My Way" com John Legend (que tem o seu disco novo cá fora agora recentemente... "Get Lifted").
Neste momento um tema favorito estaria a apontar para "Never Been In Love" do Just Blaze na producção. Mas isso varia , conforme a minha disposição, o disco está cheio de grandes temas, e especialmente de grandes letras...!
Os temas são altamente conscientes, as letras fazem-nos pensar, os problemas estão expostos, as soluções estão na música, ditadas por Common, Res, Hamilton e pelo próprio Talib obviamente.



Fica aqui a tracklist conjuntamente com os créditos de produção das faixas.
1- Going Hard
2- Back Offa Me
3- Broken Glass
4- We Know c/ Faith Evans
5- A Game
6- I Try c/ Mary J. Blige
7- Around My Way c/ John Legend
8- We Got The Beat c/ Res
9- Work It Out
10- Guetto Show c/ Common e Anthony Hamilton
11- Black Girl Pain
12- Never Been In Love
13- Beatiful Struggle

Os Beats:
2, 9, 13- Hi Tek
1, 7- Charlemagne
3- Neptunes
4, 10- Supa Dave West
5- Amadeus Thompson
6- Kanye West
8, 11- Dirty Swift e Bruce Wayne
12- Just Blaze



Listen, and you'll realize that life is just a Beatiful Struggle.
Peace!